Paraíba Cultural suspenso na quarta-feira e retorna na quinta (06/junho)

05/06/2013

Programação do “Paraíba Cultural” desta quarta é adiada devido falecimento do pai da presidente do TJPB

 

A comissão organizadora do projeto “Paraíba Cultural” decidiu adiar a programação desta quarta-feira (5), devido ao falecimento do ex-deputado estadual Antônio Waldir Bezerra Cavalcanti. Ele era pai da presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargadora Maria de Fátima Bezerra Cavalcanti. O ex-parlamentar morreu aos 87 anos, na tarde de ontem (terça-feira), no Hospital da Unimed, em João Pessoa.

E virtude do adiamento, as atrações do projeto programadas para esta quarta-feira ocorrerão juntamente com as a agendadas inicialmente para a quinta-feira (06).

De acordo com o juiz Onaldo Rocha de Queiroga, um dos organizadores do “Paraíba Cultural”, Antônio Waldir Bezerra Cavalcanti fez história nos campos da advocacia e da política paraibana. “Um homem de notável saber jurídico e um político respeitado em todos os mandatos que legislou. O adiamento da programação desta quarta-feira é um singelo reconhecimento a este grande homem”, destacou o magistrado.

Antônio Waldir Bezerra Cavalcanti também foi advogado e vereador por vários mandatos, em João Pessoa. Como deputado, ele exerceu quatro mandatos e foi um dos integrantes da Assembleia Constituinte Estadual, que elaborou e promulgou a Constituição do Estado em 1989. O corpo está sendo velado na Assembleia Legislativa da Paraíba e o sepultamento está previsto para ocorrer nesta quarta-feira, às 16h, no Cemitério Boa Sentença, na Capital.

Programação – O “Paraíba Cultural” é uma promoção do Tribunal de Justiça da Paraíba, por meio da Escola Superior da Magistratura (Esma), em parceria com a Rádio Tabajara. O evento homenageia Zé Marcolino, Lourdes Ramalho e Sivuca. Como a programação desta quarta-feira foi adiada para quinta, a agenda cultural do evento será a seguinte:

14h – Programa de auditório da Rádio Tabajara

- Fernando Patriota (Recital),
- Matheusinho interpretando Jessier Quirino,
- Cia Oxente, com a peça “Por que a noiva botou o noivo na Justiça”,
– Orquestra Armorial Marista “Ariano Suassuna”,
- Oliveira de Panelas,
- Marcos Willian (Teclado e violão),
- Ailton Nunes (Sax e violão),
- Glorinha Gadelha e Valtinho do Acordeon,
- Jadir Camargo (Seresta).

Gecom – Fernando Patriota

Paraíba Cultural