Ensino a distância é a próxima meta da Esma

Depois de lançar portal na internet e biblioteca virtual, Esma quer implantar ensino a distância

O diretor da Escola Superior da Magistratura da Paraíba (Esma-PB), desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, assumiu a Instituição em fevereiro deste ano e, em harmonia com o Tribunal de Justiça, tem tomado iniciativas inovadoras para Escola. Uma delas foi o lançamento do portal na internet (esma.tjpb.jus.br). A inauguração da biblioteca virtual e o estágio para os alunos em cartórios de algumas varas da Capital também merecem destaque. Outra meta é estabelecer o 'Estudo a Distância' (EAD).


Conforme Márcio Murilo, todas as ações implementadas contam sempre com o apoio da Presidência do TJPB e tem o propósito de aprimorar, cada vez mais, a dinâmica de trabalho da Escola. “Por formação constitucional, a Esma está com novas atribuições, com o objetivo de mudar sua forma de ensino. O estágio que os alunos estão fazendo nas varas é mais um método prático para que o estudante aprenda o que é ser um juiz”, comentou o diretor.


Por outro lado, o desembargador destacou as iniciativas tecnológicas que já estão em prática na Esma, a exemplo da biblioteca virtual e do site. A biblioteca é composta por cinco computadores de última geração, com acesso a internet, onde alunos, professores e magistrados podem realizar seus estudos e pesquisas. “São métodos para que o ensino fique menos oneroso para o Poder Público e facilite o aprendizado do aluno. Essas inovações estavam previstas em nossas metas de administração deste biênio e sempre em comum acordo com o Tribunal de Justiça”.


O site da Esma foi desenvolvido pela Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) e os computadores da biblioteca foram disponibilizados pelo TJPB.


EAD - Outra meta de trabalho da atual Diretoria é implementar o 'Estudo a Distância' (EAD), para que os juízes do interior do Estado possam fazer cursos de até 40 horas/ano, sem ter que se deslocar até João Pessoa. “O ensino a distância é, sem dúvida, um dos maiores objetivos do meu biênio. Já estamos avaliando a viabilidade dos programas e seus custos”, adiantou o desembargador Márcio Murilo.


Por Fernando Patriota