Curso para juízes do Nordeste discute tema ‘Especificidades do ensino e da aprendizagem’

Com o tema Especificidades do ensino e da aprendizagem, 61 juízes da Região Nordeste e quatro ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) participaram, na tarde desta quinta-feira (29), da aula da segunda temática do 49º Curso Formação de Formadores, que é promovido pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam).

 

A capacitação, que ocorre até sábado (31) em João Pessoa, consiste em exposições e dinâmicas para discussão de temas relacionados aos processos de ensino e de aprendizagem, orientados para o desenvolvimento de competências, como o planejamento de aula e a análise do trabalho docente, a partir de princípios pedagógicos da Enfam.

 

Para o ministro Geraldo Og Nicéas Marques Fernandes, o magistrado precisa ter humildade, pois sempre tem muito a aprender. “A dignidade e a responsabilidade com o cargo passam pelo reconhecimento dessa atualização. A Enfam tem um compromisso com os mais de 18 mil magistrados brasileiros, contribuindo com a formação deles”, disse.

 

Ainda de acordo com o ministro Og Fernandes, o evento desmistifica a noção de que só precisa aprender o magistrado iniciante. “Participar deste curso é um momento muito feliz da minha vida profissional”, afirmou.

 

Também presente na formação, o juiz da 5ª Vara Mista da Comarca de Patos, Luiz Gonzaga Pereira de Melo, ressaltou que enxerga esse curso como uma oportunidade de tomar conhecimento a respeito da metodologia adotada pela Enfam na preparação de magistrados, e, com isso, contribuir com o aperfeiçoamento dos juízes já em exercício.

 

A formação, que teve início na manhã desta quinta-feira (29), conta com a participação de magistrados dos Estados de Pernambuco, Sergipe, Rio Grande do Norte e Paraíba. Cerca de 22 magistrados, entre juízes e desembargadores do Judiciário estadual estão participando da formação, que está sendo ministradas pelos professores Roberto Portugal Bacellar, Erisevelton Silva, Taís Schiling e Rita Silvana Santana.

 

Nesta segunda temática do dia, o professor Erisevelton Silva ressaltou que os alunos estão tendo acesso a conhecimentos sobre as técnicas que compõem o método ativo, ou seja, como o magistrado formado precisa proporcionar diferentes estratégias de aprender, que não só aquela em que o professor fala e o aluno ouve.

 

Esses elementos do ensinar e do aprender são articulados por meio de técnicas ativas, em que o novo magistrado e o juiz em vitaliciamento vão para um curso e não se depararão, apenas, com uma aula de um professor lendo slide ou powerpoint. Eles vão encontrar situações novas, em que se passa a experimentar e a ouvir as falas dos colegas, bem como a se posicionar em uma aula mais dinâmica e interativa”, disse.

 

Na sexta-feira (30), a partir das 9h, o curso será iniciado com a temática ‘As diretrizes pedagógicas da Enfam e o processo de ensino orientado para o desenvolvimento de competências’. No período da tarde, segue com o debate sobre o ‘Planejamento da Aula – organização do trabalho pedagógico’.

 

Encerrando as atividades no sábado (31), os magistrados assistirão às conferências sobre ‘Planejamento da Aula – organização do trabalho pedagógico e Desenvolvimento das aulas - Análise do trabalho docente a partir de princípios pedagógicos'. À tarde, o curso será concluído com uma avaliação sobre a capacitação.

 

Por Marcus Vinícius/TJPB-Ascom