A linguagem de sinais está sendo apresentada para servidores do Judiciário em curso na Esma

Buscando qualificar os servidores para ampliar o atendimento mais inclusivo no Judiciário estadual, bem como auxiliar no atendimento a forma de comunicação e expressão da comunidade surda, cerca de 15 servidores estão participando, esta semana, do Curso Iniciação à Língua Brasileira de Sinais – Libras. A formação é promovida pela Escola Superior da Magistratura (Esma) em parceria com a Escola de Serviço Público do Estado da Paraíba (Espep).

 

As aulas estão sendo ministradas pelo professor surdo Irakitan Bernardo dos Santos e ocorrem na Esma, em João Pessoa, no horário das 8h às 12h. A formação, no campo teórico, terá a apresentação e discussão sobre: cultura e identidade surda; mitos e preconceitos a respeito da Libras; e legislação linguística que ampara a inclusão do surdo.

 

Na parte prática, as aulas contarão com exercícios práticos por meio de vocabulário básico, estruturação de frases; conversação em Libras contextualizada com a realidade da pessoa surda em espaços públicos distintos; noções básicas de léxico, de morfologia e de sintaxe; aspectos gramaticais da Libras; e musicalidade.

 

Para o analista da 4ª Vara da Comarca de Cabedelo, Gilvan Filho, a formação permitirá que servidor terá mais um instrumento de comunicação, ampliando, assim, o atendimento aos portadores de deficiência auditiva. Este também é o pensamento de Maria Betânia, que é lotada na Gerência de Apoio Operacional do TJPB. “A inclusão social é importante e, por isso, devemos aprender a linguagem de Libras para nossa atividade”, disse.

 

A supervisora da Gerência de Formação e Aperfeiçoamento de Servidores (Gefas), Rosa Virgína, afirmou que o curso segue as recomendações da Resolução nº 230/2016 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e da Comissão Permanente de Acessibilidade do Tribunal de Justiça da Paraíba, que orientam o melhoramento do atendimento, para facilitar o acesso à Justiça por este público que necessita de atenção especial.

 

A capacitação do Curso de Libras visa promover a inclusão nos serviços públicos e garantir que os servidores estejam preparados para atender pessoas com deficiência auditiva”, ressaltou.

 

Libras - A Língua Brasileira de Sinais é uma forma de linguagem natural, criada para promover a inclusão social de deficientes auditivos. Em 2002, foi reconhecida pela Lei nº 10.436 como uma das línguas oficiais do país, sendo regulada pelo Decreto nº 5.626/2005. O que diferencia a Língua de Sinais das demais é que, no lugar do som, utiliza os gestos como meio de comunicação, marcados por movimentos específicos realizados com as mãos e combinados com expressões corporais e faciais.

 

Por Marcus Vinícius/Ascom-TJPB