Alunos do CPM de Campina Grande conhecem a programação, o calendário de atividades e a metodologia

Na abertura do ano letivo da unidade de Campina Grande, na última terça-feira (19), os alunos do Curso de Preparação à Magistratura (CPM) com Residência Judicial, turma 2020.1, conheceram a programação, o calendário geral de atividades para 2020 e a metodologia da formação. Na ocasião, os estudantes foram recepcionados pela diretora adjunta da instituição, juíza Rosimeire Ventura Leite.

 

Para a magistrada, a Esma tem, nos últimos anos, buscado um aperfeiçoamento contínuo do CPM para oferecer um curso bastante sólido a esses bacharéis e, ao mesmo tempo, uma formação adaptada as exigências atuais do exercício da magistratura. Explicou, ainda, o papel da Escola e apresentou a equipe da Secretaria e Financeiro da instituição.

 

Estiveram, ainda, presente a abertura do ano letivo, a coordenadora adjunta do CPM de Campina Grande, juíza Thana Michelle Carneiro; a coordenadora geral das especializações da UEPB, professora Angela Maria Cavalcanti; o supervisor da Secretaria da Esma, José Iran Lima Filho; além das servidoras Ana Teberge e Vera Lúcia.

 

A formação é promovida pela Esma em convênio com a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), e o curso tem duração de 12 meses, com carga horária de 720 horas/aula, sendo composto por dois módulos: Estudos Preparatórios e Prática Jurisdicional Tutelada. O primeiro, se refere à oferta de conteúdos de caráter profissionalizante e fundamental, com fim de estabelecer relações entre a teoria e a prática, bem como desenvolver competências relacionadas aos temas estruturantes das atividades judiciais.

 

Já o segundo módulo corresponderá a 360 horas de aprendizagem profissional em ambiente forense, baseadas na prática de atos próprios de função judicante, que deverão ser cumpridas, no máximo, em 100 dias úteis.

 

No primeiro semestre, serão ministradas aulas teóricas e, no segundo, os alunos/bacharéis farão a Residência Judicial nos gabinetes dos magistrados preceptores da Região Metropolitana de João Pessoa e circunvizinhas de Campina Grande, além dos gabinetes dos desembargadores.

 

Por Marcus Vinícius/Gecom-TJPB