Juízes paraibanos são selecionados para o corpo docente e de alunos de mestrado da Enfam

Reconhecida nacionalmente pela capacidade de formar e qualificar servidores e magistrados do Poder Judiciário estadual, na promoção de cursos em diversas áreas do Direito, a Escola Superior da Magistratura (Esma) parabeniza a seleção de três magistrados paraibanos para o corpo docente e de alunos do Programa de Mestrado Profissional em Direito e Poder Judiciário da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam). Os juízes selecionados foram: Rosimeire Ventura Leite (professora), Leonardo Sousa de Paiva Oliveira (aluno) e Audrey Kramy Araruna Goncalves (aluna).

 

O diretor da Esma, desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque, fez questão de destacar que a seleção da juíza Rosimeire Ventura para o programa de mestrado como docente, bem como dos outros dois alunos/magistrados para fazerem parte do corpo discente, fortalece o quadro de professores da instituição, que é parceira da Enfam na promoção de cursos e eventos de formação.

 

“Essa seleção fortalece e eleva, sobremaneira, o nome da Escola na sua área de atuação, tornando cada vez mais fortes os laços de atuação conjunta das duas instituições formadoras, na certeza de que a Paraíba está no caminho certo na busca pela modernização e efetividade da justiça”, disse o desembargador Marcos Cavalcanti.

 

O mestrado terá duração de dois anos e tem com foco principal a gestão judiciária e o tratamento de conflitos, especialmente aqueles massificados e estruturais, e é guiado pela busca de efetivo aprimoramento do sistema de justiça e da prática jurisdicional, sendo permeado por um eixo transversal comum que contempla a ética, a integridade, a inovação e a eficiência da prestação jurisdicional.

 

Na manhã desta segunda-feira (31), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Tofolli, fez a abertura solene da aula magna. Na ocasião, o ministro destacou os desafios da magistratura no contexto de uma sociedade com alta litigiosidade, como a brasileira e, também, a importância da tecnologia para ajudar no enfrentamento dessas questões.

 

A magistrada Rosimeire Ventura, que é diretora adjunta da Escola Superior da Magistratura da Paraíba (Esma-PB) e juíza do 2º Juizado Auxiliar Criminal da 2ª Circunscrição, foi selecionada para o corpo docente do programa de mestrado. Ela participou, com outros 196 candidatos de todo país, para as 20 vagas do cargo de professor, destinadas a magistrados federais e estaduais em atividade.

 

Segundo a diretora adjunta, o processo seletivo foi bastante democrático e possibilitou a diversidade regional. Ela considera importante que tenha havido representantes do Nordeste aprovados e, especificamente, da Paraíba. “Optei por atuar na Linha de Pesquisa 02, intitulada ‘Ética, Integridade e Efetividade na Atividade Jurisdicional’, que traz discussões sobre os dilemas éticos da magistratura, estratégias de enfrentamento de conflitos judiciais, dentre outras questões da atualidade”, revelou.

 

Dos 291 juízes inscritos para o mestrado, foram selecionados 28 magistrados/brasileiros e dois são advindos de países da Língua Portuguesa. De acordo com a magistrada Audrey Kramy, o mestrado da Enfam apresenta-se de fundamental importância, na medida em que objetiva capacitar o juiz para melhor exercer seu trabalho dentro da unidade judicial.

 

“Tenho certeza que a aquisição de novos conhecimentos sobre Administração Judicial será bastante proveitosa para o gerenciamento da vara e do andamento dos processos, garantindo uma melhora constante na prestação jurisdicional que procuramos no dia a dia oferecer à sociedade”, afirmou a juíza.

 

Para o juiz Leonardo Paiva, a ideia de um mestrado profissional vai ao encontro da necessidade de se encontrar respostas para os problemas que atingem a atividade jurisdicional. 

 

“Foi dentro desta perspectiva que me interessei em participar dessa seleção promovida pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados. Participar de uma pós-graduação dessa natureza, pensada e moldada para magistrados, e tendo acesso a visão do poder judiciário nacional, certamente contribuirá para aperfeiçoar o serviço que presto enquanto agente do Estado”, disse o juiz Leonardo.

 

Por Marcus Vinícius/Gecom-TJPB