Os impactos causados na saúde mental em tempo de home office foram debatidos em webinário

Preparação para o Teletrabalho - Saúde Mental, Pandemia e Home Office’. Este foi o sétimo tema dentro dos Webinários Novas Tecnologias no Judiciário. A palestra foi ministrada pela juíza da 4ª Vara do Trabalho de João Pessoa, Mirella D’arc de Melo Cahú Arcoverde de Souza, e buscou tratar dos impactos causados na vida dos servidores e magistrados pela pandemia da Covid 19, que impôs levar as atividades para dentro de suas casas.

O evento ocorreu nesta sexta-feira (28) Estão programadas ainda mais seis temáticas para serem promovidas até o mês de julho. A transmissão contou com a participação de mais de 240 pessoas, de forma simultânea, na plataforma do Zoom e no canal da Escola Superior da Magistratura no YouTube.

O webinário foi aberto pelo diretor adjunto da Escola Superior da Magistratura (Esma), juiz Antônio Silveira Neto, que ressaltou que a palestrante tem uma ampla experiência na questão da saúde mental, bem como afirmou que esse tipo de sistema, teletrabalho, vai permanecer mesmo após a pandemia. 

Na oportunidade, o diretor adjunto pediu a participação dos inscritos na pesquisa do desenvolvimento do regime do teletrabalho no âmbito do Tribunal de Justiça da Paraíba. O questionário tem por finalidade obter algumas informações sobre o teletrabalho no âmbito do Judiciário estadual, como objeto de pesquisa desenvolvida no mestrado profissional da ENFAM.

Também presente ao evento, a juíza Audrey Kramy Araruna Gonçalves disse que o teletrabalho é um tema presente na realidade atual de servidores e magistrados. “Todos nós fomos pegos de surpresa com o teletrabalho e estamos nos adaptando e aprendendo.”, enfatizou Audrey.

Na conferência, a magistrada Mirella Cahú ressaltou que o enfoque de sua palestra não seria no campo jurídico, e sim às questões de saúde mental. Para a magistrada, a pandemia colocou as pessoas a trabalharem completamente diferente de uma hora para a outra. “As pessoas que não eram acostumadas com o home office, passaram a trabalhar com essa ferramenta num novo ambiente de trabalho”, observou a palestrante.

Ela destacou, na ocasião, que magistrados e servidores precisam pensar sobre os benefícios das atividades por home office, mas também sobre os riscos desse tipo de trabalho, inclusive os riscos à saúde mental. “A importância é que todos se sintam capacitados a realizar esse trabalho, que foi solicitado de forma emergencial e brusca em decorrência da pandemia”, disse a juíza Mirella Cahú, acrescentando que de forma geral, os trabalhadores em atividade remota já têm demonstrado um aumento de sintomas como estresse, depressão e alcoolismo.

Ainda na palestra, a juíza Mirella Cahú ressaltou alguns dos benefícios proporcionados pelo home office, dentre eles, estar mais próximo à família, a flexibilização da jornada de trabalho, a autonomia de organizar suas atividades, o aumento na produtividade, a redução no deslocamento para o local de trabalho, a questão ambiental de poluição e o tráfego urbano.

Já as desvantagens trazidas pela ferramenta são: fundamentos da vida privada, maior temor de fracasso, perda de status e promoção, desmobilização sindical, estresse e descontrole da vida e, por fim, rebaixamento salarial. 

Por fim, a juíza Mirella Cahú disse que o trabalho deve se adaptar ao homem e não o homem ao trabalho. “O homem é a centralidade do trabalho, é ele que faz criar o meio ambiente de trabalho e é nele que tenho que pensar, quando de repente decido deslocar todo mundo para suas residências para trabalhar, e é nesse bem-estar que devo me preocupar”, concluiu a palestrante.

A próxima temática do Webinário ‘Novas Tecnologia no Judiciário” promovida pela Esma em parceria com o Tribunal de Justiça da Paraíba, por meio da Ditec,  ocorrerá no próximo dia 11 de junho, a partir das 11h.

Eventos - Os webinários tiveram início no mês de março deste ano e até este mês quase três mil inscrições foram realizadas para as seguintes temáticas: ‘Painel PJe; Uso da ferramenta Zoom – configuração, gravação em nuvem, integração com o PJe Mídias; Gestão de Processos no PJe – etiquetas, agrupadores e rotinas cartorárias; Diário da Justiça- Integração DJEN/SIP/PJe; TJCalc como ferramenta para agilizar cálculos’; e Sistemas de custas e integração com o PJe.

A iniciativa tem uma periodicidade quinzenal, sempre às sextas-feiras das 11h às 13h, com diversos palestrantes e cada tema terá um especialista no assunto abordado. Além disso, todos as capacitações têm certificação para fins de progressão na carreira funcional. O webinário é uma parceria da Esma com o Tribunal de Justiça da Paraíba, através da Diretoria de Tecnologia da Informação (Ditec).

Por Marcus Vinícius/Gecom/TJPB