Segue o prazo de inscrições na Especialização em ‘Violência de Gênero e Diversidade Humana’

Segue até a próxima sexta-feira (24), o prazo para que magistrados e servidores se inscrevam no Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Especialização em ‘Violência de Gênero e Diversidade Humana’. Estão sendo oferecidas 50 vagas, sendo 30 para magistrados e servidores do Poder Judiciário estadual e outras 20 vagas destinadas ao público da Rede de Enfrentamento. Os interessados deverão realizar suas inscrições, exclusivamente, pela internet por meio do link https://forms.gle/8739qZxzj9tYrP6x8

Para a inscrição, o candidato deverá encaminhar, através do formulário eletrônico disponível no endereço eletrônico informado, os seguintes documentos digitalizados e no formato PDF: diploma de graduação, histórico escolar da graduação, CPF, RG, fotografia 3x4 e comprovante de residência atual.

Para a coordenadora Acadêmica de Formação Inicial e Continuada de Servidores da Escola Superior da Magistratura (Esma), juíza Graziela Queiroga Gadelha de Sousa, o aperfeiçoamento dos magistrados e servidores é essencial para uma prestação jurisdicional eficiente. 

Ainda segundo a magistrada, falar sobre Violência de Gênero e Diversidade Humana no âmbito da Escola da Magistratura demonstra o compromisso do nosso Poder Judiciário com a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, e, consequentemente com a garantia de um atendimento qualificado para quem busca os nossos serviços. “Penso que o olhar de gênero e o respeito a diversidade humana é um divisor de águas para nossa atuação, seja na condução dos processos, seja no atendimento aos nossos jurisdicionados.”, disse a juíza Graziela Queiroga.

O processo de seleção será feito pela Comissão Examinadora, e a lista dos candidatos classificados será divulgada no site da Esma, a partir do dia 28 de setembro, bem como a divulgação dos resultados indicará apenas as inscrições homologadas. Já as matrículas dos candidatos aprovados serão realizadas no período de 4 a 5 do próximo mês, e as aulas terão início no dia 6 de outubro, salvo razões de ordem institucional ou legal. 

O Curso será composto de 12 módulos: ambientação; diversidade, gênero e Direitos Humanos; gênero e interseccionalidades; violência de gênero e legislação; metodologia de pesquisa científica e de projeto de intervenção social; violência contra o público infanto-juvenil numa perspectiva de gênero; Feminicídio e Tribunal do Júri; gênero, Direito e sistema de Justiça; violência de gênero, políticas públicas e enfretamento; docência do ensino superior; seminário temático; e trabalho de conclusão de curso.

Por Marcus Vinícius