Ex-diretor da Esma é homenageado pelo TJ


Tribunal de Justiça se despede do desembargador Antônio Carlos Coelho da Franca

Os membros do Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba, prestaram justas homenagens ao ex-diretor da Escola Superior da Magistratura da Paraíba (Esma/PB), desembargador Antônio Carlos Coêlho da Franca, que se aposentou após 39 anos dedicados à Justiça do Estado. Participaram da sessão solene familiares e amigos do desembargador; advogados, juízes e servidores. O magistrado se aposentou compulsoriamente no dia 20 de agosto.

O desembargador-presidente do Tribunal de Justiça, Luiz Silvio Ramalho Júnior, disse, ao se dirigir ao desembargador Antônio Carlos Coêlho da Franca, que “toda a magistratura paraibana agradece de coração por tudo que fez, e o exemplo de pessoa que é”.

Já o decano do TJPB, desembargador  Antônio de Pádua Lima Montenegro, fez uma retrospectiva da carreira do homenageado. “Desembargador Antônio Carlos soube dar a sua contribuição ao Judiciário paraibano. Meu coração está vibrando de satisfação pela sua vitória, afinal foram quase 40 anos de serviços prestados com muita dignidade, decência, sensatez e equilíbrio. O TJ deve muito a esse homem que soube dar dignidade e prestígio ao Poder Judiciário. Que Vossa Excelência seja muito feliz nos novos empreendimentos, pois agora vai começar uma outra vida, mais leve e agradável. Chegou a hora de viver intensamente, não esquecendo de agradecer a Deus pelo dom da vida”.

Os demais desembargadores da Corte usaram da palavra para expor a grande contribuição que o magistrado deu ao Poder Judiciário paraibano. À unanimidade, ressaltaram o exemplo de pessoa  justa, boa e simples que é o desembargador Antonio Carlos, carinhosamente chamado de desembargador “Tota”.

Pelo Ministério Público estadual, o procurador José Roseno Neto falou que “é bom e gratificante quando se ouve da parte dos colegas, o reconhecimento da conduta ilibada, de um cidadão que pautou sua vida na caminhada da honestidade e da retidão. Que o caminho trilhado por Vossa Excelência sirva de exemplo aos novos integrantes da magistratura paraibana.”.

Os servidores de seu gabinete, representados pela assessora Alessandra Negreiros, também registraram sua homenagem, ao afirmar que “na verdade, Vossa Excelência não se despede. Fica, porque sua palavra continua nos seus acórdãos e seus pensamentos são ouvidos, recordados pela maneira de ser e perpetuados pelo testemunho daqueles que o conhecem.”.

Representando a Ordem dos Advogados do Brasil, secção Paraíba, falou o advogado e filho do homenageado, Carlos Emílio Farias da Franca. Ele enfatizou a figura do magistrado dedicado ao Direito, que foi o desembargador. “Sempre comprometido com o ideal de justiça, de visão moderna, um professor dos grandes tempos. Admirado e seguido por todos aqueles que almejam ser um dia: homem de bem.”.

O desembargador Antônio Carlos Coêlho da Franca agradeceu, emocionado, as palavras de carinho a ele dirigidas. “Eu não esperava tanto. Me descobri como um homem bem melhor do que pensava que era.   Eu sabia que era bom, porque meu pai me ensinou. Eu não vou fazer como aqueles que se aposentam e não visitam mais o TJ. Apesar de aposentado eu pertenço a esta Casa. Casa que  frequentei a vida inteira trazido pelas mãos do meu pai, Carlos Neves da Franca. Aqui, descobri que nasci para ser juiz. E não tenho momentos melhores nem piores da minha carreira, todos foram felizes.”, concluiu.

Fonte: Ascom/Esma