Curso ‘Eleições 2022 e o desafio da desinformação’ inscreve até 19 de junho

Notícia
Eleições 2022

Formação é voltada aos magistrados que exercem função eleitoral

No intuito de proporcionar maior conhecimento para os magistrados sobre a temática da desinformação e da segurança do sistema eleitoral de votação em alinhamento ao Planejamento Estratégico de Enfrentamento à Desinformação do Tribunal Superior Eleitoral para Eleições 2022, a Escola Superior da Magistratura (Esma) e a Escola Judiciária Eleitoral da Paraíba promoverão o Curso ‘Eleições 2022 e o desafio da desinformação’. A formação é destinada exclusivamente aos magistrados do Poder Judiciário estadual que exercem função eleitoral. 

Estão sendo ofertadas 68 vagas distribuídas em duas turmas, sendo 34 vagas para cada turma. As inscrições ocorrem até o dia 19 de junho através dos endereço eletrônico https://forms.gle/Srs4bvg64WLPS1Q49. A formação é promovida pela Esma em parceria com a Escola Judicial do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TER-PB).

As aulas na modalidade de ensino a distância (EaD) ocorrerão no ambiente virtual da Esma e na plataforma de videoconferência Zoom. As aulas da Turma I será realizada de 30 de junho a 20 de julho e a Turma II, de 1º a 19 de agosto. O curso será ministrado pelos formadores Adriana Martins Ferreira Festugatto, Karine Borges de Liz, José Cassimiro Júnior e Adailton Ventura da Silva.

De acordo com o diretor ajunto da Esma, juiz Antônio Silveira Neto, o curso busca que os participantes estejam aptos a atuarem no esclarecimento da segurança eletrônica das Eleições 2022 e também preparados para lidar com o crescente  fenômeno da desinformação, uma vez que o magistrado e a magistrada, no exercício de sua função no âmbito da Justiça Eleitoral  são pessoas formadoras de opinião na sociedade, como também, são fontes de informação para vários veículos da imprensa e mídia, representando assim a própria instituição.

“É importante que os juízes estejam atualizados quanto as diretrizes estratégicas da instituição a que pertencem e dominem os conhecimentos relativos a segurança da urna eletrônica e do sistema de votação para esclarecerem à sociedade que a Justiça Eleitoral possui todos os meios para garantir que a vontade popular seja soberana. Além do mais, trata-se de uma parceria inédita entre as duas Escolas da Judicatura que diante da necessidade de proporcionar aos juízes eleitorais um conhecimento de base sólida para compreender o fenômeno desinformação e os perigos para democracia desenvolveram esse curso com escolha de formadores de alto nível”, disse Silveira.

Por Marcus Vinícius